COVID-19 (coronavírus)

COVID-19 (coronavírus)

Quem nunca ouviu falar da COVID-19? Trata-se de uma doença infeciosa causada por um vírus chamado Síndrome Respiratória Aguda Grave – Coronavírus 2 (SARS-CoV-2), que foi detetado pela primeira vez em dezembro de 2019 na China. Em apenas alguns meses, a COVID-19 alastrou a todo o mundo. Felizmente, graças aos avanços científicos obtidos em tempo recorde, há esperança no futuro livre de COVID-19 grave. A melhor maneira de se proteger desta doença é saber como se transmite e o que pode fazer para a evitar.

O que é a COVID-19?

COVID-19 é o nome atribuído pela Organização Mundial da Saúde (OMS) à doença provocada pelo novo coronavírus SARS-COV-2, que pode causar infeção respiratória grave. Os coronavírus são uma família de vírus que circulam entre os animais e que podem infetar humanos. Estes agentes patogénicos podem também provocar outras doenças graves, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS).

O coronavírus que causa a COVID-19 – o SARS-CoV-2 – foi descoberto pela primeira vez em humanos em Wuhan, na China, no final de 2019.

Este vírus propaga-se por contacto direto através da disseminação de gotículas respiratórias produzidas quando, por exemplo, uma pessoa infetada tosse, espirra ou fala, e essas partículas são inaladas ou pousam na boca, nariz ou olhos de pessoas que estão a menos de dois metros de distância; ou por contacto indireto, através do toque das mãos com superfícies ou objetos contaminados com o vírus e que, em seguida, contactam com a boca, nariz ou olhos, ou através de inalação de aerossóis contendo o vírus.

Quando uma pessoa é infetada pela primeira vez com um vírus, o sistema imunitário entra em ação, ativando várias células, incluindo glóbulos brancos B e T, que produzem moléculas conhecidas como citocinas que ajudam a combater a infeção. No entanto, a COVID-19 (SARS-CoV-2) pode interferir no funcionamento do sistema imunitário, desencadeando uma resposta desproporcionada. Assim, o mecanismo natural de defesa do organismo pode produzir mais citocinas do que o necessário, causando a chamada ‘tempestade de citocinas’, o que pode causar falência multiorgânica e morte.

No entanto, é importante referir que a maioria das pessoas que desenvolve COVID-19 terá doença respiratória leve ou moderada e poderá recuperar da infeção de forma relativamente fácil. Os idosos e pessoas com comorbilidades (doenças associadas) têm maior probabilidade de desenvolver doença grave, daí a importância da prevenção contra esta doença infeciosa.

COVID-19: sintomas

A COVID-19 manifesta-se de maneira diferente de pessoa para pessoa. A maioria desenvolve doença ligeira ou moderada, que surge dentro de duas semanas após a infeção, e recupera sem precisar de tratamento especial.

Se tiver sintomas leves de coronavírus, deve cuidar de si em casa; mas se desenvolver um quadro grave (ver sintomas em baixo), deve procurar atendimento médico imediato. Antes de se dirigir ao médico ou unidade de saúde, é aconselhado que contacte os serviços indicados pela Direção-Geral da Saúde (DGS) para que o seu atendimento seja mais rápido e não coloque terceiros em risco.

Sintomas comuns

Sintomas menos comuns

Sintomas graves

Sintomas comuns

  • Febre
  • Tosse seca
  • Cansaço

Sintomas menos comuns

  • Dores no corpo
  • Dores de garganta
  • Diarreia
  • Conjuntivite
  • Dor de cabeça
  • Perda de olfato (anosmia) e paladar (disgeusia)
  • Erupção cutânea, erupções na pele ou descoloração dos dedos das mãos e pés (eritema)

Sintomas graves

  • Dificuldade em respirar ou falta de ar
  • Dor ou pressão no peito
  • Perda de fala ou movimento

Algumas pessoas podem continuar a apresentar sintomas da doença mesmo depois da recuperação inicial – COVID longo – ou ficar com sequelas. No entanto, a grande maioria das pessoas recupera totalmente da doença em pouco tempo.

Qual a incidência da COVID-19?

Qualquer pessoa pode apanhar o vírus que causa a COVID-19, mas alguns de nós somos mais propensos a desenvolver doença grave, sobretudo quem tem mais de 60 anos ou comorbilidades como hipertensão, doença respiratória crónica e doença cardiovascular. Alguns medicamentos – como a quimioterapia – também podem aumentar o risco de contrair a infeção e desenvolver doença grave, uma vez que debilitam o sistema imunitário. Se tiver dúvidas, fale com o seu médico.

Prevenção da COVID-19

É importante prevenir a infeção pelo SARS-CoV-2 e retardar a propagação da COVID-19, para se proteger a si e às pessoas à sua volta. Siga as normas da Direção-Geral da Saúde (DGS) e tome as precauções necessárias.

Vacina contra a COVID-19

Graças aos incríveis esforços de cientistas e organizações internacionais de saúde, existem neste momento várias vacinas eficazes contra a COVID-19.

A história já nos mostrou a importância das vacinas na prevenção de doenças infeciosas. Atualmente, as vacinas permitem-nos prevenir e controlar cerca de 25 infeções. As vacinas são a forma mais segura de proteção contra doenças como a COVID-19.

Cuidar de alguém com COVID-19

Cuidar de alguém com COVID-19 é desafiante, uma vez que exige distanciamento físico e cuidados de higiene adicionais. Pode parecer muito difícil manter a distância de um ente querido (especialmente se ele se estiver a sentir mal), mas isso ajudá-lo-á a proteger-se a si e a outras pessoas desta infeção.

  • Se vive consigo, a pessoa infetada deve usar um quarto e casa de banho individuais;
  • Se a distância não for possível, areje os espaços da casa que são partilhados;
  • Certifique-se de que a pessoa infetada bebe muitos líquidos e que descansa bem;
  • Opte por medicamentos que podem ajudar a combater a febre;
  • Ajude a pessoa infetada a obter alimentos ou fármacos, por exemplo;
  • Fique atento a eventuais sinais de agravamento do estado de saúde e contacte os serviços de emergência em caso de suspeita de doença grave;

Se esteve ou está em contacto próximo com um doente infetado com COVID-19, adote cuidados extra para evitar propagar a infeção.

Perguntas para fazer ao médico sobre COVID-19

A lista abaixo inclui exemplos de perguntas para o ajudar a iniciar uma conversa com o seu médico. Podem surgir outras perguntas relevantes com base nos seus sintomas ou histórico clínico que não estejam aqui listadas.

  • Existe algum fator que me coloque em maior risco de desenvolver doença grave?
  • O meu trabalho ou estilo de vida colocam-me em maior risco de infeção?
  • O que posso fazer para ajudar a prevenir a infeção?
  • ...

Janssen & COVID-19

A Janssen pretende identificar e fornecer soluções em alturas de crise, como na pandemia causada pela COVID-19. Com as vacinas agora disponíveis, esperamos que os nossos esforços ajudem a proteger pessoas em todo o mundo e, eventualmente, a acabar com a pandemia.

Glossário

  • COVID-19: É o nome da doença provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 e significa “Doença por Coronavírus 2019”, fazendo referência ao ano em que foi descoberta.
  • MERS: Síndrome Respiratória do Médio Oriente, uma doença respiratória viral causada por um coronavírus.
  • SARS-CoV-2: O vírus que causa a COVID-19.
  • SARS: Síndrome Respiratória Aguda Grave, uma doença respiratória viral causada por um coronavírus.

Bibliografia

Abbasi, M. R., Sparano, J. A., Talavera, F., Besa, E. C., 2019. What is the prevalence of mantle cell lymphoma (MCL)? (Internet). Medscape. Disponível em: https://www.medscape.com/answers/203085-173653/what-is-the-prevalence-of-mantle-cell-lymphoma-mcl
Lymphoma and the lymphatic system (Internet). Macmillan Cancer Support. Disponível em: https://www.macmillan.org.uk/cancer-information-and-support/lymphoma/lymphoma-and-the-lymphatic-system
Mantle cell lymphoma (Internet). Cancer Research UK, 2020. Disponível em: https://www.cancerresearchuk.org/about-cancer/non-hodgkin-lymphoma/types/mantle-cell
Non-Hodgkin lymphoma (Internet). NHS, 2018. Disponível em: https://www.nhs.uk/conditions/non-hodgkin-lymphoma/
Lymphoma and the immune system (Internet). Lymphoma Action. Disponível em: https://lymphoma-action.org.uk/about-lymphoma-what-lymphoma-immune-system/lymphoma-and-immune-system
Mantle cell lymphoma (Internet). Lymphoma Action. Disponível em: https://lymphoma-action.org.uk/types-lymphoma-non-hodgkin-lymphoma/mantle-cell-lymphoma
Lymph Nodes and Cancer (Internet). American Cancer Society, 2021. Disponível em: https://www.cancer.org/cancer/cancer-basics/lymph-nodes-and-cancer.html
Lumps (Internet). NHS, 2021. Disponível em: https://www.nhs.uk/conditions/lumps/
Mantle cell lymphoma (Internet). Macmillan Cancer Support. Disponível em: https://www.macmillan.org.uk/cancer-information-and-support/lymphoma/mantle-cell
Low Grade Lymphoma: What You Need To Know (Internet). Lymphoma News Today. Disponível em: https://lymphomanewstoday.com/low-grade-lymphoma/
Ladha, A., Zhao, J., Epner, E. M., Pu, J. J., Mantle cell lymphoma and its management: where are we now? (Internet). BMC, 2019. Disponível em: https://ehoonline.biomedcentral.com/articles/10.1186/s40164-019-0126-0
Abbasi, M. R., Sparano, J. A., Talavera, F., Besa, E. C., 2020. Mantle Cell Lymphoma (Internet). Medscape. Disponível em: https://emedicine.medscape.com/article/203085-overview
Non-Hodgkin Lymphoma Risk Factors (Internet). American Cancer Society.,2020. Disponível em: https://www.cancer.org/cancer/non-hodgkin-lymphoma/causes-risks-prevention/risk-factors.html
Active monitoring (watch and wait) (Internet). Lymphoma Action. Disponível em: https://lymphoma-action.org.uk/about-lymphoma-treatment-lymphoma/active-monitoring-watch-and-wait
Coping (Internet). Cancer Research UK, 2021. Disponível em: https://www.cancerresearchuk.org/about-cancer/non-hodgkin-lymphoma/living-with/coping
The emotional impact of living with lymphoma (Internet). Lymphoma Action, 2021. Disponível em: https://lymphoma-action.org.uk/about-lymphoma-living-and-beyond-lymphoma/emotional-impact-living-lymphoma